skip to Main Content

Benefícios pessoais nas empresas: o que são e quais oferecer?

As empresas que oferecem benefícios pessoais – além do salário convencional – aos seus colaboradores, acabam por se destacar no mercado de trabalho, visto que expressam, através dessa iniciativa, a valorização de profissionais, culminando em sua retenção nas equipes. Um setor de RH bem estruturado deve se manter atualizado e atento a essas questões, visando sempre a preservação da qualidade de vida no trabalho. Leia o texto a seguir e saiba mais sobre o assunto! 

O que são benefícios pessoais 

Estes são benefícios legais opcionais; por não serem obrigatórios, são usados como forma de complementar a renda dos trabalhadores. 

Como o próprio nome sugere, a satisfação gerada através do benefício pessoal é mais particular, focada na experiência individual do(a) colaborador(a). Por isso, ele pode ser considerado uma forma de salário emocional, isto é, diretamente relacionado à qualidade de vida nas empresas. 

Quais oferecer?  

Antes de mais nada, é necessário entender o que é qualidade de vida nas empresas. Trata-se de um conceito simples, que diz respeito a ações adotadas para melhorar o grau de satisfação de um(a) colaborador(a) com sua função, seus colegas e o ambiente de trabalho, visando os impactos positivos que esse bem-estar pode trazer aos resultados da organização como um todo. 

Diante disso, verifica-se que disponibilizar benefícios pessoais é também uma maneira de atrair e reter talentos, considerando que eles são capazes de gerar maiores motivação e engajamento no trabalho. 

Confira, a seguir, alguns exemplos práticos e descubra como eles podem favorecer sua gestão. 

Vale cultura  

Quando pesquisamos sobre quais os benefícios do lazer, ou seja, aqueles voltados para o descanso e a diversão dos colaboradores, este é um dos mais populares. O vale ou cartão cultura consiste em um valor que a empresa concede com a única finalidade de promover o contato do trabalhador com diferentes meios e manifestações artísticas. 

Através dele, o funcionário pode acessar estabelecimentos como museus, teatros, cinemas, livrarias, shows e festivais de música, assim como diversas plataformas de streaming, garantindo uma programação cultural que contemple diretamente seus gostos pessoais. 

Gympass  

Através deste programa de descontos, o(a) colaborador(a) tem acesso – a nível nacional, isto é, independentemente de onde ele(a) more – a academias e aplicativos de bem-estar, podendo realizar treinos presenciais e/ou aulas on-line referentes à modalidade de sua preferência.

Colaboradora treinando em academia, com personal trainer, graças ao Gympass.
Com o Gympass, a empresa demonstra cuidado e atenção para com a saúde física de seus colaboradores.

Ao escolher e disponibilizar determinado(s) plano(s), a empresa zela pela boa disposição (física e mental) dos seus funcionários, ao mesmo tempo em que estimula a busca por um estilo de vida mais saudável. 

Cursos e treinamentos  

A capacitação garante que novos conhecimentos sejam adquiridos e, consequentemente, aplicados no âmbito profissional. Quanto mais habilidades um colaborador acumula, mais ele se torna competitivo no mercado. Por isso, este auxílio é também bastante proveitoso para a empresa, pois assegura a permanência de pessoas cada vez mais qualificadas. 

Planos de saúde sem coparticipação  

Nos planos de saúde com coparticipação, o titular participa com uma fração do valor referente ao(s) procedimento(s) realizado(s). Já sem a coparticipação, todos os custos dos serviços prestados – consultas, exames, cirurgias, internações, entre outros – são integralmente cobertos pela mensalidade (nesse caso, paga pela empresa). Dessa forma, o funcionário tem direito a um amparo total para si e sua família, caso o plano permita a inserção de dependentes. 

Horários flexíveis de verdade  

A legislação trabalhista brasileira estabelece que a jornada normal de trabalho é de 8 horas diárias e a semanal, de 44. Contudo, não há nenhum dispositivo que discipline esse andamento. 

Por isso, empresas e funcionários podem entrar em acordo e determinar, em conjunto, uma jornada mais flexível, fortalecendo a confiança entre os envolvidos; respeitando os horários de pico de produtividade do trabalhador, prezando sempre pela melhora de seu desempenho e pela qualidade das entregas; ao mesmo tempo em que todos cumprem as determinações da lei.

Colaborador trabalhando em seu horário de preferência.
Permitir que o colaborador escolha seus horários de trabalho é uma forma de assegurar mais liberdade e autonomia na execução de suas demandas.

Auxílio alimentação  

Este tipo de benefício é incentivado pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), que busca atender prioritariamente os trabalhadores de baixa renda. Sua gestão é compartilhada entre o Ministério do Trabalho e Previdência, a Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia e o Ministério da Saúde. 

Tanto o vale-alimentação quanto o vale-refeição estão dentro do auxílio; a diferença é que o primeiro é geralmente utilizado para compras em quantidade (como em supermercados), enquanto que o segundo permite que os colaboradores comam em lanchonetes, restaurantes e estabelecimentos afins. 

Auxílio home office  

O senso de pertencimento também deve ser trabalhado com colaboradores que atuam em home office, tendo em vista seu distanciamento físico com relação à sede da organização. Uma forma de motivá-los é providenciando um saldo de apoio para resolver questões que interferem diretamente no dia a dia de trabalho, como por exemplo: para garantir um plano de conexão à Internet de maior velocidade; para comprar uma cadeira mais confortável; ou para ajudar a quitar a conta de luz. 

Auxílio mobilidade  

Este benefício chama a atenção principalmente dos colaboradores que trabalham em regime presencial e precisam se deslocar até o local de trabalho. Ele pode ser oferecido de diferentes formas: como vale combustível, para abastecer automóveis; como saldo em aplicativos de mobilidade, para custear as corridas; como recarga de cartões de bilhete de transporte público; ou até mesmo para alugar ou comprar uma bicicleta, por exemplo. Cabe ao funcionário escolher qual meio lhe é mais favorável, levando em conta sua rotina diária.

Colaborador feliz por poder abastecer seu carro com o auxílio mobilidade.
O auxílio mobilidade é extremamente importante para trabalhadores que dependem do transporte (público ou particular).

Programa de desenvolvimento para evolução profissional 

Desenvolver planos de carreira e treinar lideranças são ações típicas de um programa de desenvolvimento para evolução profissional. Sua implantação é vantajosa não só para os colaboradores, mas também para a empresa, que acaba direcionando pessoas já imersas na cultura organizacional para cargos de chefia. 

Diante da variedade de auxílios apresentada até então, recomendamos a implementação de um cartão de benefícios flexíveis – uma solução que reúne diferentes possibilidades e que permite maior autonomia em seu uso, atuando também como uma ferramenta de retenção. Conheça as categorias contempladas pelo DUCZ e invista na valorização da sua equipe!

Escolha o DUCZ e ofereça benefícios flexíveis à sua equipe!

Compartilhe:

Apaixonada por Comunicação e suas inúmeras possibilidades. Trabalha com redação criativa, copywriting, storytelling e técnicas de SEO. Enxerga a escrita como uma forma de aprender e de transmitir conhecimento a outras pessoas.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top